06 de junho de 2017

5 maiores erros que os pais podem cometer contra a dieta dos filhos

Um dos principais problemas de saúde pública do mundo, a obesidade infantil é considerada epidemia e deve ser combatida; para nutricionista e coach Gladia Bernardi, a alimentação inadequada começa em casa

Crédito: Shutterstock

 A Organização Mundial de Saúde avalia que a obesidade é um dos fatores que mais contribuem para o aumento dos casos de câncer, hipertensão, problemas renais e diabetes, entre outras doenças crônicas. Apesar dos alertas, a doença tem se tornado cada vez mais comum no Brasil e no mundo, principalmente entre as crianças.

Segundo o relatório “Pelo Fim da Obesidade Infantil” (2016), o problema atinge 41 milhões de crianças menores de cinco anos. Ainda de acordo com a pesquisa, os casos de obesidade estão relacionados a fatores comportamentais, deixando apenas 5% para os fatores genéticos e 10% a causas hormonais tratáveis. Portanto, não adianta culpar a “genética” ou os hormônios. Os números mostram que os maus hábitos e a má qualidade da alimentação são os principais causadores do sobrepeso.

Nutricionista funcional e coach em emagrecimento, Gladia Bernardi defende que pais e responsáveis são os verdadeiros culpados pela obesidade infantil, pois a rotina alimentar, seja ela boa ou ruim, começa na família. “A criança constrói a sua primeira relação com a comida dentro de casa, aprendendo com os adultos, que são o exemplo”, diz ela.

Segundo a especialista, nos casos de tratamento de obesidade infantil, todo o processo deve ser acompanhado pelos adultos, que são fundamentais para que o método dê resultado. “A relação familiar com o paciente mirim tem impacto direto na condição da criança”, explica.

Associada ao Health Coaching International Institute, escola pioneira em Coaching de Emagrecimento Consciente destinado a profissionais de saúde, Gladia enumera os maiores “inimigos” da saúde das crianças:

Oferecer alimentos industrializados com frequência

Apesar de os pediatras indicarem somente leite materno (ou fórmula em casos especiais) como alimento até os seis meses de idade,12% dos bebês dessa faixa etária comem macarrão instantâneo, segundo dados do Ministério da Saúde. Além disso, 72% das crianças com até dois anos comem biscoitos recheados e 48% delas tomam refrigerante regularmente.

“Uma criança com menos de um ano parece ser capaz de fazer o próprio macarrão instantâneo? Claro que não! Quem preparou essa refeição inadequada, sem dúvida nenhuma, foi um adulto”, diz Gladia.

“Esse é um grande erro, que deve ser evitado pelos pais, pois coloca a saúde da criança em risco”, alerta.

Montar lancheiras pouco saudáveis

A obesidade infantil e a adulta crescem juntas no mundo todo. Os pequenos aprendem e criam os primeiros hábitos dentro de casa. “São os pais que nos apresentam a forma de viver e se relacionar com tudo, inclusive com a comida”, diz Gladia.

Os maus hábitos alimentares geralmente adquiridos na infância, e são os responsáveis pela maioria dos casos de sobrepeso. “A família sempre deve dar preferência a refeições saudáveis e, quando as crianças forem para a escola, a lancheira também precisa conter bons alimentos e em porções adequadas às necessidades da idade”, explica.

Usar a comida como recompensa

Você usa os alimentos saborosos (e calóricos) como recompensa pelo bom comportamento dos filhos? Segundo Gladia, essa é uma péssima escolha para o futuro da criança. “Eles vão crescer com uma percepção deturpada da comida, que será difícil de corrigir na vida adulta”, ensina.

Pesquisadores da Norwegian University descobriram que cerca de dois terços das crianças dão sinais de que comem para se sentir melhor. “Em longo prazo, essas recompensas podem levar à compulsão alimentar”.

Subestimar o aumento de peso da criança

Para a especialista, o modo como os pais pensam –inclusive como eles se relacionam com a questão do peso dos filhos— gera uma percepção equivocada da condição das crianças. “Pais com a “mente gorda” adotam em seu dia a dia e ensinam aos filhos hábitos alimentares prejudiciais, apresentando percepção distorcida sobre o ganho de peso da criança”.

Segundo um estudo realizado no Hospital Universitário da USP, em 2015,  58% das mães subestimam o peso dos filhos. “Esse equívoco retarda o tratamento e faz com que o número de crianças com diabetes tipo 2 e colesterol aumente a cada ano”, diz a especialista.

Erra na escolha do tratamento adequado

Gladia explica que experiências mal-sucedidas com dietas comprometem a autoestima das crianças, e, por isso devem ser evitadas ao máximo. “É por isso que sempre recomendamos o acompanhamento de um profissional, e o mais indicado é um coach de emagrecimento”, explica.

Associada ao Health Coaching International Institute, escola pioneira em Coaching de Emagrecimento Consciente destinado a profissionais da área da saúde, ela explica que o tratamento para as crianças deve ser cuidadoso e eficiente, para evitar que ela se torne um adulto obeso.

Para a nutricionista, é viável fazer coaching em crianças, desde que conte com a supervisão dos pais. “Existem algumas técnicas usadas para criar laços e cumplicidade com a criança. Assim, ela será capaz de compartilhar sensações, momentos, histórias e situações com o profissional, o que é essencial para o sucesso do tratamento”, finaliza.

Pelo texto percebi o quanto ainda erro na alimentação dos meus filhos, mas claro que apesar de ter alguns erros, tenho acertos também, evito muita coisa e confesso que já ofereci comida de recompensa, mas parei com isso quando começou a ficar frequente. E você, o que achou do texto?

3 comentários
Postado por: Nique
tags: .
02 de junho de 2017

Endy Fez 1 ano #video

Ei, e aí? Tudo bem com vocês?

Mais um post comemorativo por aqui, post especial em homenagem a minha ShitZu Endy que fez 1 aninho de vida (humana) no dia 06 de maio. Minha fofura que amo tanto e que não consigo ficar longe, apesar das sapequices que ela faz todo dia! Então quero que dê play no vídeo pra conferir o que aprendi com a minha cadelinha fofa.


Minha Endy faz muitas traquinagens, e você tem um pet em casa? Como eles são? Diz aê! e me conta como você faz pra ensinar a fazer as necessidades, porque ainda não consegui ensinar a minha Endy.

3 comentários
Postado por: Nique
tags: .
01 de junho de 2017

Saiba se você é uma mãe controladora

Antes de mais nada: nenhuma mãe nasce sabendo de tudo. Mas escorar-se nessa desculpa não é a maneira mais saudável de lidar com os problemas. Esse tipo de relacionamento pode ser apontado já durante a gravidez. Algumas podem desenvolver, mesmo que de forma inconsciente, uma rejeição pela maternidade. Essa rejeição, segundo vários estudos, pode ser percebida pelo bebê ainda na barriga e aumentar após o nascimento. Em muitos casos é só um sentimento momentâneo, e a grande maioria das mães consegue reverter esse quadro. Mas em outros, se estende durante toda a vida. O oposto disso é a superproteção, que segundo o blog do site Telavita, também acaba se tornando prejudicial.

Imagem: Melhor Amiga

É necessário que você observe alguns pontos abaixo e verifique se você é uma mãe nociva e controladora:

Você reproduz os maus-tratos sofridos durante sua própria infância?

Bem, você deve se lembrar o quanto os castigos exagerados ou punições em excesso te faziam sofrer. Não pense que repetindo esse padrão, mesmo que de forma inconsciente, estará fazendo seu filho se fortalecer. Na verdade você está perpetuando a violência física e mental.

Você faz comparações entre seu filho e outras crianças?

Não o faça. Cada pessoa tem seu próprio ritmo e desenvolvimento. Humilhar alguém julgando outra pessoa superior não é a melhor maneira de lidar, ainda mais com alguém em pleno desenvolvimento. Lembre-se que as crianças entendem o recado e crescerão com a impressão de que são inferiores e indignas. Essa é uma arma poderosa e que destrói qualquer auto estima.

Você se faz de vítima?

Há certas mães que costumam sempre “lembrar” aos filhos sobre os sacrifícios realizados pelos quais ela passou para educa-los. Não queremos minimizar aqui sua contribuição, mas pense que a maternidade é uma opção: se você quis ter filhos sabia exatamente que não seria um mar de rosas. Tentar ampliar sua bravura e exigir reconhecimento perpétuo só pode causar duas coisas: sentimento de culpa e afastamento na idade adulta.

Você trata seu filho como uma criança mesmo ele já tendo idade suficiente para tomar decisões?

Mais uma vez: não faça isso. O instinto maternal faz com que nós viremos verdadeiras leoas na hora de defender nossos filhos. Tudo em excesso faz mal, inclusive a proteção. fechá-los em bolhas, ou sempre desaprovar escolhas próprias fará apenas com que eles se tornem inseguros e não saibam lidar com problemas no futuro. Deixe seu filho caminhar com suas próprias pernas.

Você não respeita a privacidade de seu filho?

Há um limite entre observar e invadir totalmente sua privacidade. Apesar de ser um ponto complicadíssimo, há de ter um equilíbrio entre saber sobre companhias, locais visitados ou outras atividades. Invadir emails, entrar em redes sociais, vasculhar quartos são tóxicos em qualquer tipo de relação, mesmo entre mãe e filho.

Identificou-se em alguns dos tópicos?

Não se desespere: mães podem errar no processo educativo de seus filhos, mas reconhecer quando deve melhorar é uma dádiva que deve ser sempre buscada. Buscar melhoras é única maneira eficaz de manter um ambiente familiar de harmonia e amor. Uma boa maneira de tentar equilibrar a relação é a busca profissional de algum psicólogo ou terapeuta. Ele procurará identificar os pontos mais conflitantes e indicará os melhores caminhos para a cura, garantindo desta maneira um relacionamento saudável com a pessoa que você mais ama.

Guest post enviado por Kaio Emmanuel

 

3 comentários
Postado por: Autor Convidado
tags: .
31 de maio de 2017

Corset Yoga Nadador de Cirrê e Rendas

Ei, e aí? Tudo bem com você? Espero que sim.

Hoje compartilho aqui com você uma ótima dica. Você sabe o que é Corset? É um tipo de lingerie que muitas pessoas usam por debaixo da roupa. Pois bem, vou mostrar como fica fazendo parte de um look. Meio rocker, meio gótica, do jeito que eu adoro! rs

Esse que estou usando é um Corset Yoga com Costas Nadador e Rendas + Cirrê lindíssimo, fiquei impressionada com a qualidade do material e como fica linda no corpo. Apaixonei! Possui 8 barbatanas e nas costas modelo nadador. Suas alças são fixas e reguláveis e é confeccionado com tecido Cirrê e detalhes em renda. Ideal para modelar o corpo, reduzir medidas e combater a flacidez da pele e gordura localizada. Olha minha combinação?

Usei com calça destroyed e bota porque achei que ficou bem dark sabe? Curti essa combinação, mas vai do seu gosto, você pode usar com saia, saia lápis e porque não short jeans. Com vestido e bota de cano alto fica bem estiloso. E abuse em acessórios, fica divino! só sei que depois de conhecer essa tendência, não quero outra vida, quero usar com tudo rsrsr, mas pode deixar que vou mostrar pra vocês a medida que for usando ok?

Então, o que acharam do meu look diferentão? Curtiram?

 

4 comentários
Postado por: Nique
tags: .
páginas
123456... 477» próxima


{Editar Fotos Online de Maneira Simples e Gratuita}